Alimentação na Gravidez – Como Deve Ser

Estamos tão acostumados a ler todos os dias sobre como manter uma alimentação saudável (principalmente para manter a barriguinha no lugar). Mas pouco se diz sobre como deve ser a alimentação na gravidez. Ficou com dúvida? Confira algumas dicas agora

 

 

 

alimentação na gravidez

Retornar para a pagina inicial

[back-redirect link=”http://mon.net.br/19n66?src=back-redirect-artigos-para-pg-vendas”]

[blank-reload reload=”http://mon.net.br/19n67?src=pg-avaliacao-blanck-reload-artigos”]

 

 

 

A grávida pode consumir adoçante?

Sim. É liberado o consumo de adoçantes a base de sucralose, acesulfame de potássio, aspartame, sucrose, maltose e frutose. Porém, mulheres grávidas precisam ingerir uma quantidade de açúcar maior, portanto, não fazendo necessário o uso de adoçantes.

Exceto casos de gestantes diabéticas, ou mulheres que desenvolvem diabetes gestacional, o consumo de adoçantes se faz desnecessário.


Assim como nas dietas convencionais, é preciso restringir o consumo de carboidratos, proteínas e gorduras?

Não restringir, apenas controlar. Esse é o segredo da alimentação na gravidez. Todos os nutrientes citados são importantes para a gestante, pois são fontes de energia, além de servirem de veículos para vitaminas e minerais, fundamentais para o bom desenvolvimento do bebê.

Porém, como nada em excesso faz bem, é preciso ter alguns cuidados:

  1. Carboidratos:

Existem dois tipos: os simples (feitos de farinha branca) e os complexos (feitos de farinha integral). As melhores escolhas serão sempre os complexos. São eles: pão integral, bolachas integrais, aveia, barrinhas de cereais, etc.

  1. Proteínas:

Carnes e leguminosas, como soja, feijão, lentilha e derivados do leite, por exemplo, são as principais fontes de proteínas. Porém, é preciso ficar atento ao corte da carne e ao tipo de laticínio, pois esses alimentos podem vir acompanhados de gordura ruim, que eleva os níveis de colesterol.

O correto é optar por cortes magros e leite desnatado, iogurte light e queijo branco.

  1. Gorduras:

Ao contrário do que muita gente pensa, as gorduras são sim fundamentais para o corpo, porém, devem ser consumidas com moderação. As gorduras funcionam como veículos que transportam vitaminas A, D, E e K (lipossolúveis).

Dê preferência aos alimentos que oferecem gordura boa, como abacate, castanhas, leite e queijos magros, peixes e aves (sem a pele). Para não extrapolar o limite, evite as frituras, gratinados, queijos amarelos, cortes de carnes com gordura (como a picanha, por exemplo), entre outros.

As fibras são importantes para a alimentação na gravidez?

Fibras são fundamentais na alimentação da gestante. Muitas grávidas se queixam de intestino preso ou prisão de ventre. As fibras entram como principal solução para esse problema.

Consumir alimentos integrais, frutas, legumes e verduras diariamente, em todas as refeições, pode amenizar esse desconforto, ou até mesmo fazer com que desapareça por completo.

 

alimentos

 

 

Existe um nutriente que é mais importante na gestação?

Todos os nutrientes são importantes para a alimentação na gravidez. Cada substância possui seu papel, e as refeições devem ser ricas de todos os tipos de nutrientes.

Por isso, apesar de muitas grávidas se preocuparem com ferro e ácido fólico, o correto é saber equilibrar a alimentação, de forma que nenhuma vitamina ou mineral fique de fora (o que pode causar deficiência de nutrientes para a mãe ou o bebê).

 

exames

 

 

Exames periódicos podem detectar a falta de alguma substância no organismo da futura mamãe, mas não há necessidade de preocupação. O médico pode fazer uso de suplemento vitamínico para suprir todas as necessidades, tanto da gestante quando do bebê.

Recomendados para você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *